Blog | Página 3 de 5 | Seja Imensa
493
blog,paged,paged-3,qode-news-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
Viagem / 06.08.2018

  Tomar um cafézinho quente ou suco delícia com comida boa rodeada de muuuitas plantinhas? Em Curitiba dá! Por isso o Botanique é parada obrigatória para quem se apaixona pela experiência muito além do "o que comer" já que o diferencial realmente é o clima super aconchegante do lugar! O ambiente interno tem mesas para bastante gente, podendo até compartilhar e conhecer pessoas novas. Cada cantinho tem assentos diferentes e ao fundo além da perspectiva da decoração, é possível também comprar as plantas e itens de jardinagem fofos, com o suporte de uma vendedora simpática que me pareceu mega entendida do assunto! Dali enquanto eu me...

Escritos / 04.08.2018

  Pago com gosto o legítimo preço desse tipo de coisa em forma de capricho e em experiência me desviro pra que seja os cinco. Possuir é ingestão, viver é devorar com as mãos. Tato aflorado rumo ao indeterminado, olfato exagerado, visão apurada dos fatos pra virar retrato e fazer audível o abraço de sentir inteiro e degustar o chão quando o céu ainda é segredo de estado.  ...

Escritos / 30.07.2018

  Certamente você já ouviu por aí que cada um tem seus limites. Eu prefiro acreditar que todas temos uma imensidão. Uma parte em essência, aquela espécie de dádiva do princípio de tudo, de onde surgimos e a origem do que vamos nos transformar ao longo da vida: o que muito me inspira! Além dela, várias agregadas a partir das experiências. Digo sobre as pessoas que ficaram, os lugares que percorremos, as escolhas que traçamos no meio de existir: o que muito me encanta. Entre tudo isso, um tanto de história e espaço transbordando por todos os cantos, que compreendemos como o que nos...

Lifestyle / 30.07.2018

  Relacionamento é o tipo de coisa que a gente aprende vivendo. Dos mais frouxos àqueles mais cravados muitas vezes nos vemos capturados pelos anseios do outro como se fossem nossos e, impedidos de mover tempestade alheia, agregamos poeira ao nosso próprio caos. E não falo aqui sobre empatia, falo sobre desespero de dentro - o pior tipo de aflição é a que você toma pra si sem ser sua. É bacana se colocar no lugar do outro quando você abre margem para o tal compreender o lugar em que está sob uma ótica externa: o tipo de caso que a...

Lifestyle / 30.07.2018

  De uns tempos pra cá tenho me visto um tanto quanto inquieta com o assunto consumo. Não faço ideia do que fez brotar isso dentro de mim e por isso mesmo afirmo que brotou de dentro, ainda sem saber quando. Nunca fui dessas que banca a protetora ambiental e me lembro até de algumas vezes em que frustrei ideais de relações entre homem e a natureza. Pois essa mesma é a que agora se pega assustada diante da noção de movimento em que coisas, funções, utilidades e necessidades se perdem no tempo, no espaço e acabam desfalecidas em míseras vontades. [gallery ids="287,288,299,301,300,298"] As colagens na...

Escritos / 29.07.2018

  A carga da leveza é o que de mais pesado pode-se carregar. É o que se deixa pra ter, é a vontade de entregar, o prazer de devolver o que sequer pode apalpar. Leveza daquela que leva pra cima sem gravidade, que se faz coragem pra desaguar em mar de ninguém, e ainda assim ser tão verdade que nenhuma majestade é capaz de impor porém.   (Veja aqui mais posts como este!) ...

Lifestyle / 28.07.2018

  Sempre fui muito conselheira mas também caí em várias ciladas quando o assunto é relacionamento. Acredito que seja uma das nossas vivências mais complexas, cultivar um amor exige muita entrega e isso raramente se questiona. Do platônico ao abusivo, cada um deixa um aprendizado e um preço a ser pago. Mas o que o amor não pode ser mesmo é recompensa. É uma troca e o saldo só é positivo quando resulta em igual para igual. Se tem um papo que rende entre amigas é relacionamento, então gostaria de compartilhar algumas das minhas experiências com vocês.   Estamos sempre conversando sobre isso aqui...

Escritos / 28.07.2018

  Não sei vocês, mas eu às vezes me pego exausta sem saber o porquê. Um tipo de cansaço esquisito que me pega no meio do dia mesmo com noites bem dormidas e nenhum esforço desgastante ao exagero. Desconfio que seja um peso dos nossos dias, o fardo dessa geração ligada demais que faz questão de estar alerta o tempo todo e acaba por desfalecer de repente. Trocamos o sono por informações irrelevantes, entregamos nosso silêncio à primeira multidão de falatório e opiniões por medo do título de conservador. Afinal a gente precisa de muito pra formar uma mente inteligente. Precisa ler muito, ouvir...