Sobre maquiagens e suas multifunções | Seja Imensa
379
post-template-default,single,single-post,postid-379,single-format-standard,qode-news-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Sobre maquiagens e suas multifunções

 

– Quem nunca desejou uma bancada dessas que atire o primeiro blush!

Somos bombardeadas por lançamentos no mercado de beleza a todo tempo e parece que as marcas sempre descobrem uma nova inconveniência estética potencialmente melhorável com tal produto. Se a indústria cumpre seu papel de convencer, as necessidades se tornam cada vez mais específicas. Embelezar a boca já não é mais questão de um batom e sim de uma complexa sequência de protetor labial, lápis para contorno, o famigerado batom e finalmente o gloss – afinal o acabamento faz toda diferença, né?

Talvez esse movimento do “Você não está perfeita porque falta esse passo na sua rotina de beleza” seja resultado da nossa preguiça em pesquisar, investir e até mesmo questionar a funcionalidade dos itens. Já reparou que sua sombra pra olhos, preenchimento pras sobrancelhas e o contorno do rosto tem exatamente o mesmo tom e praticamente a mesma composição? ou que o hidratante poderoso que você procura para os cotovelos pode ser a pomada que você aplica nos lábios?

A multifunção não se restringe a uma minoria, é só a gente saber usar e estar atento ao que realmente faz diferença, assim dá pra notar que uma necessaire na maioria das vezes é um tanto quanto suficiente e versátil para suprir as nossas necessidades. Não dá pra tomar como base apenas o que as marcas definem como título de um produto, mas é claro que o bom senso sempre vale! Todo cuidado é pouco com texturas cremosas na região dos olhos, por exemplo, ou na aplicação de produtos nos lábios que não foram projetados para este fim, já que isso pode indicar alguma ingestão. Nesse sentido, as paletas e estojos também fazem multifuncional a maquiagem, agregando o senso de arte ao processo de brincar com as cores e texturas além da seriedade de embelezar.

Avaliar o potencial de usabilidade ainda não é das nossas mais relevantes perspectivas de compra, mas ainda é tempo de ser. Analisar melhor no que investimos é valorizar não só o dinheiro, mas principalmente o poder de consumo e como a indústria percebe o nosso comportamento para arquitetar e executar novos produtos e propósitos. Somos responsáveis pelo que compramos, sempre.

1 Comment

Escreva um Comentário